segunda-feira, 25 de novembro de 2019

Série Onibi

''Você sente minha dor? 
Você sente minha tristeza?''


Olá corpses.




MASA Works DESIGN é um compositor que começou seu trabalho em abril de 2011. Gumi Megpoid e Hatsune Miku são as 'divas virtuais' mais frequentes em suas canções, porém também já utilizou Kagamine Rin, Sachiko, Yuzuki Yukari e IA. Ele mesmo desenha as ilustrações de todos seus vídeos. Kitsune no Yomeiri é sua música mais conhecida, e seu remake já alcançou mais de um milhão de visualizações no Youtube. O artista já lançou 3 álbuns: ADULT, Alcatraz e Adultraz.

Tem preferência por temas grotescos como canibalismo, desmembramento e mortes violentas, porém suas produções também contam com questões sexuais. Sem considerar algumas de suas obras alegres, além de ter feito remix's e covers no passado. Seu estilo de produção são músicas com um toque tradicional japonês misturado com eletrônica. É um compositor bem presente no Twitter e sempre responde as dúvidas dos fãs sobre suas histórias.

Séries confirmadas: Maha's Story, Untied, My Youth, Her World, My World, The Onibi Series, The Sisters Story e The Secret Serie. Onibi e Maha's Story acontecem no mesmo universo, no entanto possui-se uma diferença de 100 anos entre as histórias. 

▬  ▬

Ordem da série:
  1. The Spider and The Kitsune-like lion/Onigumo to Kitsune no Shishi to
  2. The Fox's Wedding/Kitsune no Yomeiri
  3. The Beautiful Shadow of the Demon's/Kimikage Enbukyou
  4. Shikyou Amanojaku
  5. Meikyou Oniwarabe
  6. Beheading Dance/Kubinashi Enbukyou
  7. Will-o-the-wisp/Onibi
  8. Star Lily Dance/Himeyuri Enbukyou

É importante lembrar que embora  The Onibi Series possua um total de oito canções - sendo duas delas apenas músicas bônus - , a história não se limita apenas no âmbito musical. A maioria das informações citadas na postagem advém do blog do criador que há um ano está em hiatus. O blog é escrito inteiramente em japonês.




Mai Shishikusa

Ela é membro do clã Shishikusa. Filha do Daimyō e Ryou. Em algumas versões aparece com cabelo verde escuro para apresentar semelhança com sua diva virtual Gumi Megpoid, porém aparência canônica é a personagem com o cabelo castanho.

Akari Oborodzuka

O nome dela foi erroneamente traduzido para 'Zhuli' pela comunidade. É um membro do clã Oborodzuka (também chamado de clã da Raposa), conhecido por fazer diversos pactos com demônios e deuses. Por isso, a maioria de seus parentes apresentam alguma deficiência física, sendo ela a única exceção. Quando enfurecida, seu cabelo transforma-se de cinza para vermelho e é capaz de matar alguém apenas com o olhar. Em versões mais antigas era representada apenas com a aparência da Hatsune Miku.

A dimensão do seu poder é evidenciado quando ela faz com que seus tutores - que estavam a abusando fisicamente e enganando sua família com a promessa de um bom ensino - tivessem convulsões e se suicidassem.

*É dito que em algum momento da história as duas tiveram um casamento.

Shikyou The Amanojaku

É um espírito maligno do folclore japonês (妖怪 - Yokai) que se diz capaz de ver o coração das pessoas e de provocá-las a obedecer a seus pensamentos mais sombrios, profundamente enterrados. O papel de Shikyou não é claro em toda a história, embora esteja claro que ela é a antagonista. É representada fisicamente e vocalmente pela 'diva' Kagamine Rin.
Seu principal objetivo é impedir o encontro de Akari e Mai, já que dizia-se que algo terrível aconteceria. E ocorreria a morte de diversas pessoas inocentes, porém tal efeito não afetaria a entidade. Ela sente um ódio tremendo pela humanidade - já sendo responsável por massacrar mais de metade da cidade - por eles não temerem, não adorarem os deuses e a própria Shikyou (que considera-se um deus). O incidente ocorreu quando um grande samurai governava Castle Town e ninguém ousava atacar o local.

O ser também demonstra um ódio em relação a Emi. A razão é desconhecida, mas o ódio possivelmente vem do fato de que os ancestrais dela eram humanos que se tornaram deuses. Em outra possível teoria, afirma que Emi é a razão pela qual Mai e Akari se conheceram.

Emi

É descendente de deuses do mal - humanos que se tornaram deuses - e, por isso, todos a odeiam.
Kaori Onidzuka

Ela é prima da Mai. Conhecida pelos fãs como 'Etsuko'.

Tomomari Shishikusa

Pai da Mai. É um Daimyō [大名] (''é um termo genérico que se refere a um poderoso senhor de terras no Japão pré-moderno, que governava a maior parte do país a partir de suas imensas propriedades de terra hereditárias.'' -Wikipédia).

Masaoka Daiji

Guarda-costas da Mai. Costumava ser de um clã poderoso de samurais, mas que por um ataque surpresa de warlords tudo desmoronou. Ele tinha sete anos na época e estava fugindo com sua mãe, que infelizmente faleceu.

Ryou Shishikusa

Nasceu no clã Onidzuka, mas tornou-se do clã Shishikusa depois de casar-se com o Daimyō. Ela possui uma tatuagem de aranha nas costas e usa uma faca 'devil's blade' para as matanças. Ryou e seu marido cuidam de um teatro em Castle Town (Namitsuki) e a maioria do entretenimento da cidade vem dali. É comum apostas com vidas humanas e tráfico de garotas. É cética em relação a assuntos espirituais.

Kanishiro Oborodzuka

Irmão mais velho da Akari. Possuí cabelo vermelho e olhos de cobra. Ele é descrito pela Mai como uma figura de estatura alta. Não é citado sua relação com irmã.

Shizune

Irmã mais nova e adotiva da Mai. Seu pai devia dinheiro para o clã Shishikusa e ofereceu sua filha como forma de pagamento quando estava sendo torturado por Ryou. Embora eles rejeitem a oferta, na casa deles restava apenas a garota. Sua mãe havia morrido e não fazia ideia de que ele a havia abandonado, acreditando que ainda voltaria. O clã a resgata.

 ▬

Com os personagens devidamente apresentados, devemos começar?


Para cada canção estarei explicando o contexto onde está situado as ações dos personagens, além de elucidar o significado por trás das palavras do criador. Sem considerar algumas informações extras adicionadas com a intenção de esclarecer o máximo de conteúdo para os leitores. O blog dele também detalha os ocorridos com datas bem específicas, porém não irei me prender a estas nessa postagem para não me alongar demasiadamente.

Onigumo to Kitsune no Shishi to/
まさ - 鬼蜘蛛ト狐ノ獅子ト
["O clã Onigumo, sequestrado pela raposa, suportou todo tipo de agonia por um longo, longo tempo."]

O trecho da canção faz referência a um livro, chamado de 'The spider and the kitsune-like lion', encontrado por Ryou. Onigumo é o clã que sequestra as garotas para vender ao clã Shishikusa. Muito dos empregados que trabalham para o Daimyō também são desse clã.

O clã Shishikusa executa um negócio inteiro de tráfico humano que é associado normalmente a jogos de azar. Dentro do teatro, pessoas específicas (Daimyōs) possuem o privilégios de verem certos espetáculos que não são abertos a todos os públicos. Porém, seu público começa a ficar entediado e eles são obrigados (no início, Ryou não concorda com a ideia e até bate na cara do marido, mas termina por aceitar apenas por causa do dinheiro - sem o patrocínio a família não duraria muito tempo) a encontrar outra atração: matando pessoas durante um espetáculo.

Eles encontram uma bela moça com cabelo prateado - exatamente como as mulheres descritas em um certo clã lendário. No entanto, Akari veio certamente do tal clã lendário, fato reforçado pelos seus traços característicos, como o cabelo acinzentado e olhos vermelhos. Ela recebeu o codinome de Sachiko. De acordo com Ryou seria mais fácil chamá-la dessa forma. A garota estava agitada e estava com sede, então deram água com droga para deixá-la mais calma.

Durante a primeira apresentação, apesar de Ryou a ter machucado seriamente, Akari sobreviveu e foi mantida sob vigia em um porão. Qualquer um que ousasse tocar ou ficar no mesmo ambiente que a garota morria dolorosamente. Quando Tomomari e a Ryou resolvem terminar o assunto (convocando mais uma apresentação), novamente os poderes dela atacam os Daimyōs. Vários morrem. Enraivecida e enlouquecida, a mulher ataca violentamente a garota - momento evidenciado pela música. No decorrer da tortura, a senhora perde completamente a lucidez. Akari até mesmo menciona que Ryou é um monstro muito pior que ela. A menina amaldiçoa o clã por cem gerações. E é exatamente essa maldição que cairá sobre Mai futuramente. 


Kitsune no Yomeiri/
狐の嫁入り


"Kitsune no Yomeiri pode se referir a várias coisas: luzes fantasmas atmosféricas , um fenômeno durante o qual parece que lanternas de papel de uma procissão de casamento estão flutuando no escuro; o que é comumente referido como um sunshower - um fenômeno meteorológico em que a chuva cai, enquanto o sol está brilhando - e várias procissões de casamento estranhas que podem ser vistas em histórias fantasmagóricas, ensaios e lendas japoneses clássicos. Kitsune (狐) frequentemente pregam peças em humanos na lenda japonesa."

["A esposa da raposa sem o guarda-chuva..."] 

O trecho faz referência a cantiga que Akari canta perto do lago quando era criança, onde quase fora levada por homens do clã Onigumo. Eles não a raptaram por possuir cabelos acinzentados, característica do clã raposa - o qual dizem ser tocado pelos deuses. Ela também canta a cantiga durante seus momentos finais quando é morta por Ryou. O irmão da Akari (Kanishiro) invade o castelo e rapta Mai - durante o sequestro, o rapaz mata Shizune, além de ter ferido Daiji seriamente - obrigando à comer carne humana fresca. A letra sugere que sexo esteve implícito em algum momento. E no blog faz menção de um possível interesse romântico dele por parte dela. No fim, a garota retorna para a mansão - ela também o devora -, porém sua sanidade não retorna.

Ryou encontra o corpo devorado da sua cozinheira. No aniversário de dezoito anos da filha, onde seu marido dá uma festa luxuosa convidando parentes de ambos os clãs, Mai devora primeiramente um de seus primos. Quando questionada pelos pais, termina por devorar seu pai e logo em seguida sua mãe, desaparecendo posteriormente do casarão em direção a cidade. Também aparece Akari, que aparentemente voltou a vida.

A letra também cita o trecho 'Está aberto? Está aberto?'. Referência a uma personagem da série Maha's Story - Tsukuyoki. Tsukuyoki é a fundadora do clã da Raposa (nasceu da morte do mensageiro do Shikyou). Foi selada juntamente com o irmão mais novo, Midori, em um altar onde Akari e sua mãe oram. O altar também é possivelmente onde a moça retorna a vida. É informado também que Akari possui um dos poderes do outro irmão dela, Amaterasu, de prever o futuro - mesmo poder que advêm da entidade. A fundadora está selada no que ela chama de 'Black Sun Palace', um lugar onde apenas a Akari consegue acessar e nem mesmo Amanojaku sabe sobre.



Kimikage Enbukyou/
鬼美影演舞狂-狐ノ嫁入リ-


Mai enlouquece e começa a matar diversas pessoas de Castle Town. Então, somos introduzidos brevemente a nossa antagonista Shikyou, que aparece apenas gritando ao fundo como se estivesse zangada. Justamente porque Akari e Mai não estavam destinadas a se encontrarem e, o resultado desse encontro foi apenas desastre e diversas mortes. Aparentemente, o ocorrido foi causado por Emi (também chamada de 'doll') que tem uma rivalidade com Shikyou.


Shikyou Amanojaku/
死凶天邪鬼
Uma canção especialmente dedicada a nossa antagonista. Amanojaku é um 'deus' que mata outros deuses, além de criar falsas kitsunes e yōkais. Na obra temos a citação de que Ryou não acredita em espíritos nem em maldições (fato evidenciado no blog quando seu marido lhe mostra um livro - informando sobre o desaparecimento da maioria dos homens que estavam na primeira apresentação - descrevendo sobre o clã lendário e ela não acredita). Tal ceticismo também é herdado a sua filha. Aparentemente a entidade também controla as linhas do destino da esposa do Daimyō.


Meikyou Oniwarabe/
明鏡鬼童



Acontece simultaneamente ao ocorrido no Kimikage Enbukyou e não está relacionado com a história principal. Estrelando a prima de Mai, Kaori. Conhecida também como 'criança demoníaca'. Na única passagem do blog onde a garotinha é citada, Ryou parece preocupada por sua sobrinha ter apenas amigos animais. Implica-se que ela mata animais, porém é desconhecido o motivo (pode ser por costume ou por desejo próprio, não especificado). Sua mãe engravidou de um homem desconhecido e foi expulsa do clã Onidzuka que não aceita que uma mulher tenha um filho sem um marido. Ela se afoga no alcoolismo e tem diversos abortos, até ter a Kaori. O pai dela é desconhecido. A irmã ganha dinheiro para pagar seu vício dormindo com um homem.


Kubinashi Enbukyou/
首無演舞狂


Assim como o canibalismo de Mai fora consequência da maldição de Akari, a capacidade de ver os espíritos daqueles que ela havia assassinado igualmente. Ela vagueia pela cidade matando pessoas e supostamente tendo relações sexuais com alguns corpos. No final, ela é decapitada por Shikyou como forma de punição e sua cabeça decepada é entregue a Akari em uma caixa.


Aparentemente as personagens retratadas na canção são Emi e Ryou, porém nenhuma informação sobre o que possa confirmar em relação a história. No Wiki da série, diz-se que é a história de uma boneca morta planejando matar seu assassino. A música também apresenta uma das figuras mais misteriosas de toda a série - Onibi. O criador não gosta de compartilhar informações sobre esse personagem, porém foi o mesmo que deu nome a série.


["Aqueles sentimentos que nunca chegarão até você".

É apenas a representação dos desejos de Mai. Supostamente, representando um final feliz que nunca chegará, ela e Akari terminariam juntas. Demonstrando que a garota possuía sentimentos amorosos por ela, mas o contrário não pode ser confirmado (ainda que a cabeça da Mai é dada a Akari - podendo simbolizar que o deus estaria trazendo agonia com a morte de algo querido).

▬  ▬

Fontes:


The Onibi Series é muito conhecida entre os fãs de Vocaloid. Não é difícil atiçar a curiosidade quando os ouvintes deparam com temas grotescos como canibalismo e desmembramento. São composições que transmitem a bizarrice não apenas visualmente como também sonoramente, principalmente com os toques de canções tradicionais japonesas. Porém, foi erroneamente traduzida muitas vezes e muitas informações divergem entre fontes diferentes. É muito conhecida também por ter o título das canções traduzidos equivocadamente pela comunidade. 

É uma série que eu criei um vínculo bem significativo após passar tanto tempo pesquisando sobre e que, infelizmente, demorei muito tempo para dar o primeiro passo para me envolver. Apesar de possuir muitos simbolismo nas letras e uma história que a princípio parece extremamente complexa. Muitas informações ainda não foram desmembradas pelos fãs e ainda existe muitas teorias envolvendo esses personagens. Portanto, admiro muito o trabalho do criador. É um dos artista que trabalham com o software que conseguiu consolidar seu estilo próprio dentro de uma comunidade com tantos trabalhos diferentes.

Outras postagens de Vocaloid:


~Rina

2 comentários:

  1. Lendo essa postagem as 2h da madrugada, o que poderia dar errado? :D kkkkkk

    ResponderExcluir
  2. acabei dormindo e terminando hoje, porém gostei bastante, apesar de não ter um interesse especial por vocaloides achei interessante ver um outro lado da comunidade que não conhecia.

    ResponderExcluir