segunda-feira, 5 de agosto de 2019

Cupid

"Amor é tanto veneno quanto cura, tanto faca quanto remédio."


       Cupid é uma Visual Novel indie de terror, romance e drama lançada em setembro de 2015, desenvolvida pelo grupo FERVENT e distribuída pela Afterthought Studios. Tem uma duração de aproximadamente 8 horas e está disponível na Steam gratuitamente, apenas na língua inglesa.

Avisos

  • O jogo tem uma classificação indicativa de +17, contendo um "filtro de maturidade" optável que censura alguns conteúdos sensíveis. Entretanto, mesmo com o filtro de maturidade, os autores não recomendam a obra para menores de 16 anos.
  • Contém: forte conteúdo sexual, imagens perturbadoras, violência.
  • A Zero Corpse não tem interesse em traduzir Visual Novels. Para mais informações, veja nossa Blacklist.  

♡ Sinopse ♡


A melhor amiga de Rosa, Catherine, foi morta e ela tem certeza de que o Marquês Guilleme é o culpado. Mamãe diz que sim. Mamãe diz que ele tem que pagar com sua vida. Contudo, ela sabe agora que Guilleme não é um homem comum. Ele é contaminado. Um monstro. Para buscar a melhor vingança, ela deve descobrir todos os segredos do marquês e destrui-lo. Mas vão seus próprios desejos sombrios consumi-la ou libertá-la?


Não importa.

Mamãe a dirá o que fazer.

♡ Personagens ♡
 



Rosa

Uma tímida e abusada garota que vivia nas ruas como uma vendedora de rosas. Está recentemente instável e dividida entre vingança e luto. Ela é amiga de Guilleme há muito tempo, mas também suspeita de seus segredos.








Catherine Emilia Perride

Uma talentosa jovem pianista. Alegre dama com um espírito gentil, propensa a mudanças de humor, ingenuidade e exagero. Ama Rosa como uma irmã.









Marquês Guilleme Michel de Gul

O marquês geralmente fica só em sua mansão, misterioso e elusivo. De vez em quando, aparece com um novo ou uma nova jovem amante ao seu lado. Os habitantes da cidade o amam por sua benevolência e generosidade.








Mamãe

É incerto se ela é realmente o espírito da mãe abusiva de Rosa ou simplesmente uma esquizoide personalidade da psique quebrada dela. Apesar de seus feitios maldosos, Rosa ama Mamãe e sempre a obedece para agradá-la.


♡ Análise ♡

       Um dos aspectos mais interessantes de Cupid é que a personagem controlada pelo jogador é, justamente, "Mamãe", a voz na cabeça de Rosa que influencia suas ações. Sendo uma Visual Novel, a jogabilidade é limitada; pode-se somente escolher o que Mamãe irá dizer a Rosa em diferentes situações. Entretanto, decidir o que dizer não é tão fácil quanto parece.

       Mamãe é cruel e deve-se optar sempre entre o "ruim" e o "pior" quando se fala através dela. Por isso, pode-se afirmar que o jogador controla a vilã da história. Tal fato, muitas vezes, dá sensação de impotência e causa agonia, afinal seremos sempre e inevitavelmente cruéis (perguntei-me várias vezes “puts, sério que tô falando isso?”). Entretanto, isso não é um aspecto negativo nesse caso, mas uma das qualidades e singularidades de Cupid. É uma situação engenhosa criada pelos autores que renova o sistema Visual Novel e será, com certeza, uma experiência única para qualquer jogador.


       Em termos literários, destaco também certa influência do Naturalismo, movimento literário que teve seu início na segunda metade do século XIX. Cupid apresenta uma característica central de obras naturalistas, o Zoomorfismo: representação das personagens de forma animalesca, em que elas seguem seus instintos como se fossem, de fato, animais. Isso acontece especificamente quando se trata do prazer carnal, um tema central da novel. Ela representa ainda sexualidade e adultério, dois tópicos recorrentes em obras naturalistas.

       Falando sobre o título da novel, percebe-se logo influência greco-romana: "Cupido". O Cupido, equivalente romano do deus grego Eros, é o deus do amor, servindo de inspiração para os autores no desenvolvimento da história.

Réplica de uma escultura de Eros, original por Lísipo
♡ História

       Passando-se no século XVIII na França, o enredo tem uma narrativa não linear, alternando entre passado e presente na apresentação dos fatos. Tal escolha foi inteligente dos autores, trazendo mais suspense e surpresas à narrativa ao passo que avançamos na história. Muito bem construída, ela carrega temas dos mais diversos, todos trabalhados com aptidão. Problemas psicológicos, loucura, abuso, traição, desigualdade, puberdade, relações entre familiares, amigos e casais.

       Além disso, Cupid prende sua atenção a todo momento. Mesmo em cenas nas quais não há picos de drama, o enredo não joga palavras ou conversas inúteis na sua cara. Não só tudo tem seu valor e impacto, mas também tudo é interessante. É aprazível ver os fios do enredo se entrelaçando, construindo os acontecimentos e desenvolvendo as personagens em uma história tão farta, porém tão simples e bem formada. As escolhas que se tomam como Mamãe geram impacto nos diálogos e nos acontecimentos. O jogo possui múltiplos finais, daqueles tão belos que lhe fazem chorar e daqueles tão grotescos que lhe deixarão perturbado por um tempo.


♡ Artes Visuais

       Há um artbook oficial do jogo por $3,00 dólares americanos que apresenta uma variedade de conteúdos sobre a criação e a evolução dos designs. Os das personagens são bem pensados e têm detalhes mais evidenciados no artbook, sendo uma leitura bastante recomendada. Algo interessante sobre os backgrounds é que foram feitos como modelos 3D, depois coloridos e inseridos no jogo. Essa foi uma boa estratégia, embora algumas linhas tenham se destacado por serem um pouco estranhas. Apesar disso, o jogo é em geral bem ambientado. O estilo da arte é singular e funciona muito bem com a estética gótica da novel.



♡ Sonoplastia


       A novel foi feita sem qualquer orçamento, então toda a trilha sonora utilizada foi pesquisada e encontrada em plataformas como youtube e soundcloud. Segundo a idealizadora do projeto ameliori, o conceito original era de "caixa de música", ou seja, leve e minimalista, ao invés de pesado e orquestral. A trilha sonora funciona bem para seu propósito e ambientaliza excelentemente a história. Embora não seja pesada, casa com os temas maduros tratados na narrativa e com a intensidade da obra.



       Além disso, sendo uma das personagens principais uma pianista, era de se esperar uma trilha sonora bem elaborada; vai desde composições contemporâneas até clássicas como as de J.S. Bach. Uma lista com as músicas utilizadas e mais comentários de ameliori sobre a trilha sonora pode ser encontrada aqui.


♡ Personagens


Esta seção contém spoilers da história.
Leia-a por sua conta e risco.


       As personagens, embora sejam poucas, são todas incrivelmente bem construídas. Dá gosto de acompanhar o desenvolvimento de cada uma (seja por terem se tornado pessoas mais corajosas ou por terem quebrado completamente), sendo essa a principal qualidade da obra. Por isso, decidi reservar uma seção apenas para expressar minha opinião sobre cada uma.


       Rosa: como disse ameliori, Rosa poderia ter sido uma personagem rasa, definida apenas como “aquela garota com vozes na cabeça”. Mas o jeito com que o grupo desenvolveu a história transformou essa protagonista em muito mais que isso. Rosa aprende a ser mais corajosa com Catherine e Guilleme de diferentes formas, e senti-me mesmo como a mãe dela, cheio de orgulho, nos finais bons do jogo, em especial no final 1. Em contrapartida, Rosa enlouquece de vez nos finais ruins e seu lado dependente e solitário é evidenciado. De fato, uma personagem grandiosa com diferentes facetas. A decisão de deixar seu parentesco com Guilleme ambíguo foi ótima e seu diálogo com Mamãe no fim do capítulo 6 é um dos pontos altos do jogo, sensacional.


       Catherine: o interessante sobre o desenvolvimento de Catherine é que acompanhamos sua evolução através da idade, passando da infância para adolescência e para a fase adulta. Embora não seja um foco do jogo, foi um deleite observar seu amadurecimento e as formas com que ela se portava nas fases da vida. E o jeito com que sua sexualidade foi explorada com Rosa e com Guilleme foi genial, de longe uma das melhores partes da narrativa. Catherine foi uma peça importante no tabuleiro que serviu de motivação para Rosa, ainda bem que os escritores a aprofundaram mais do que originalmente pretendiam.


       Guilleme: a revelação da real natureza de Guilleme não aconteceu exatamente de uma vez, mas foi sendo sugerida ao longo da narrativa muito bem. É uma personagem com a qual me senti acolhido em algumas cenas, mas apavorado em outras. O sentimento de dúvida em relação à sua honestidade foi constante durante toda a história, mas logo depois de a morte de Catherine ser revelada, por exemplo, queria apenas jogar-me em seus braços, desesperado por um acolhimento. A narrativa brinca com sua visão de Guilleme. 


       Em alguns finais, é evidenciada sua solidão (parecida com a de Rosa, inclusive), junto com sua frieza e seu egoísmo. Novamente, uma tremenda dualidade. Além disso, gosto de como suas ações maldosas não são ignoradas por Rosa, mesmo quando ela decide perdoá-lo (até porque ele fez muita coisa ruim na vida). O epílogo também o aprofundou mais e fiquei feliz em ver sua capacidade de mudar, pelo menos em um dos possíveis finais. Enfim, poderia passar horas escrevendo sobre essa personagem, o que só evidencia o quão boa ela é. Em geral, eu odeio ele, mas também o amo.


♡ Conclusão ♡


       Cupid é com certeza uma experiência memorável que vale a pena. Uma obra literária que é em si um paradoxo entre o simples e o abundante, entre o leve e o intenso. Através do artbook e das notas de produção presentes no jogo, fica claro o quão dedicados foram os criadores na produção dele, o tanto de pesquisa envolvida para detalhar a experiência o máximo possível. Isso vai desde a mitologia explorada até a precisão histórica da obra. A devoção a enriqueceu imensamente.

       Gosto de dizer simplesmente que Cupid é uma história de amor. Não uma história fofa, exacerbadamente romântica e muito menos clichê, mas uma história que evidencia todos os lados e facetas do "amor"; esse que pode ser tanto veneno quanto cura, tanto faca quanto remédio. Ou seja, está longe de ser uma obra como do Romantismo do século XVIII, não é cheia de exageros ou idealizações. Pelo contrário, é uma narrativa de aspecto realista que evidencia não só pessoas como realmente são, mas também o amor, como ele é.




       Olá, Corpses. Sou o novo redator, Yakatsu. Agradeço por terem lido até aqui, espero que tenham gostado de minha primeira postagem e gostem das que ainda estão por vir. Acompanho o blog há muito tempo e é entusiasmante fazer parte dele agora. Até a próxima.


o deus romano do amor... ♡ ... mais?

-Yakatsu

19 comentários:

  1. Uma análise ótima! Bem organizada, detalhada mas não cansativa. O redator sabe do que está falando e expõe a Visual Novel de um jeito que desperta o interesse. Estou certa que vou gostar das postagens que estão por vir!

    ResponderExcluir
  2. Ótima análise! Esse redator fez um bom trabalho, eu concordo plenamente com o que meu colega ''wowbagger'' escreveu. Irei gostar das postagens que estão por vir.

    ResponderExcluir
  3. Amei MUITO a análise, gostei de como apresentou o jogo de um modo organizado e conciso, mas ainda assim bem detalhadamente! O jogo parece ser muito bom, e espero que prenda a minha atenção tanto quanto essa postagem prendeu uwu
    Parabéns pela incrível primeira postagem, Yaka, estou ansioso pelas próximas <3 <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Vinny. Quando jogar, me fala o que achou uwwwu <3

      Excluir
  4. Adorei o trabalho do redator, me deu mais vontade de jogar o jogo do que a própria história do jogo

    ResponderExcluir
  5. Amei a análise e ainda é grátis? Madrugada, sinta-se preenchida!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Haha, que bom! Jogar na madrugada deve ser melhor ainda. Bom jogo e obrigado~

      Excluir
  6. Okay, sendo sincera aqui: o que mais me impressiona nesse post, além da gramática impecável, é como você HONRA a obra, exatamente por ter tanta paixão pela experiência que ela lhe proporcionou. Percebe-se uma busca intensa de informação, coisas tão simples e que muitos nem se dariam o trabalho de citar, mas que fazem tanta diferença que o post, além de atiçar interesse, dá _gosto_ de ler.
    Não tem nada mais prazeroso que enxergar o fascínio de quem escreve durante a nossa leitura, e você adiciona muito mais! Informações didáticas explicadas com objetividade e simplicidade, adicionadas não como um "extra desnecessário", mas sim, como uma maneira literária de enxergar e compreender melhor a trama; abordagem de temas sérios que o jogo expressa (como os problemas mentais) e o bom desenvolvimento de explicar a impactante sensação que o jogo quer passar (tanto dos jeitos mais óbvios, como na crueldade inevitável do jogador, quanto dos mais sutis, presentes nos desenvolvimentos críveis dos personagens). Você já começou deixando seu jeito único e sua personalidade no primeiro post! Estou tão orgulhosa 😢💘

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. AAAAA Muito obrigado, Max, eu te amo. Fico feliz que tenha gostado. Obrigado por falar essas coisas, significa muito : ( ♡♡

      Excluir
    2. também te amoo, e que nada <3<3<3 um post tão bom com tanto esforço merece meu reconhecimento escrito 😔💕

      Excluir
  7. Se eu conseguir algum patch de tradução, eu posso trazer para o canal.

    ResponderExcluir
  8. amei a análise, muito bem feita, deu muita vontade de jogar :0
    peço desculpa por esta pergunta mas tem alguma informação sobre tradução de pocket mirror? se demora muito? to muito ansiosa pela tradução, é um jogo que quero muito jogar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou da análise, espero que jogue ou que já tenha jogado, de fato!
      O que sei sobre a tradução de Pocket Mirror é que a tradutora Charlotte está se esforçando bastante para realizá-la e peço paciência.

      Excluir
    2. entendo, muito obrigada e boa sorte para a Charlotte! ^^

      Excluir
  9. esse jogo terá uma tradução para o português ?

    ResponderExcluir