sábado, 18 de março de 2017

O futuro quer nos matar.

"Hello...Emily."

Olá a todos. Hoje vou tratar de algo ao qual a maioria das pessoas tem medo. O futuro. O medo de se machucar, de se perder, de partir.

Você gostaria de viver para sempre? O quê você faria para conseguir isso?

Esta é uma postagem que vai mudar um pouco seu modo de pensar sobre a vida, principalmente por causa do vídeo que mostrarei. E antes de abrir esta reflexão com vocês, quero que mantenham uma coisa em mente:


"O futuro quer nos matar."

O futuro é algo impossível de prever. Apesar disso, temos esperança. Esperança quer dizer esperar. Esperar que algo melhor vá acontecer.

O universo tende ao caos. Quando construímos um prédio, ele está prestes a cair a todo o momento pelas forças da natureza. A gravidade, o ar, o calor, a umidade. Tantos fatores que constroem o tanto o quanto destroem. Se não fossem por tantos aparatos para manter um edifício em pé, não veríamos grandes cidades hoje em dia. Cidades massivas e cinzentas de puro concreto e fumaça. Mesmo sem perceber estamos lutando constantemente contra a ordem natural das coisas. Cortando as ervas daninha da calçada, cercando árvores de cimento, tentando burlar o tempo e até a própria morte.
Nessa batalha caótica de forças, fazemos de tudo para manter o controle sobre as coisas. Controlamos, para não temer. Mas isto é sem dúvida um engano.

 O homem ergueu o mundo ao auge de seus sonhos, e ainda o faz. Fantasias loucas de puro poder e egocentrismo, manias de grandeza, meias verdades e factoides que fazem o ser humano sentir no topo do mundo. Mas tem algo que faz todos os disfarces de semideuses caírem por terra: O medo da morte.

Existem apenas três coisas que podem mover o mundo: O amor, o dinheiro e o medo.

Nossos instintos primários nos dizem para sobreviver. Viver para sempre. E para que isso aconteça, fazemos de tudo para durar o máximo o possível e deixar nossa marca nesse mundo. Esse é um tipo de medo que nos move, a maioria de nós, claro. Corremos desenfreadamente para um destino incerto, nos deformando, nos travestindo de personagens que não somos. Tudo na esperança de que o amanhã seja melhor do que o hoje. Por isso esperamos que vivamos o suficiente para chegar na "parte boa da vida", mas será que essa parte boa vai chegar um dia?

Após essa breve introdução, peço a vocês Corpses, que assistam esta obra-prima chamada "World of Tomorrow" o intrigante, bizarro e macabro curta de Don Hertzfeldt e legendado por Gabriel Vargas (clique no CC do lado da barra de vídeo e em "Português (Portugal)".



Assistiu? Que bom! É provável que você fique desconcertado(a) como eu fiquei. Desculpe por isso.

GUIA TURÍSTICO DE UM FUTURO PROVÁVEL

por Don Hertzfeldt, apenas leia se tiver terminado o vídeo!


QUEM É EMILY III? POR QUE ELA É TÃO ESTRANHA?

Emily Prime, a Emily primária é visitada por um clone longínquo de si mesma. No futuro será possível fecundar uma pessoa com um clone. A mente do corpo original será transferida para esse clone e dessa forma, essa pessoa estenderá sua vida.  Esse processo pode ser repetido diversas vezes gerando certa imortalidade. Emily Prime no futuro fará clones por três gerações até chegar a essa Emily mais velha. Mas tudo tem seu preço. Passar sua mente de corpo em corpo gera demência. Perceba como Emily III dá tiques, fala de forma robótica, inexpressiva. E outra coisa curiosa é como ela trata da morte de forma tão corriqueira mesmo sendo a coisa que mais teme. É muito bizarro mesmo.

POR QUE EMILY PRIME É TÃO BURRA? ELA NÃO TEM MEDO DAS COISAS QUE ACONTECEM AO REDOR DELA?

Emily Prime não é burra! Apesar de não ficar claro no curta, ela só tem 3 anos. Aos olhos de Emily, tudo é fantástico e curioso. Mesmo quando viu os corpos das pessoas caindo do céu, ela achou tudo muito lindo. Não é que ela não tenha medo, ela simplesmente não entende.

POR QUE EMILY III SE SENTE ATRAÍDA POR OBJETOS? POR QUE NINGUÉM SALVOU O MENINO DO MUSEU? PORQUE TANTO FASCÍNIO POR SERES HUMANOS NO FUTURO?

Emily III apresenta vários sinais de deterioração da mente por conta dos diversos efeitos colaterais da extensão de vida. Quanto mais vezes se passa pelo processo, menos humana se torna a pessoa. Perceba que Emily se sente tão afastada da humanidade que se afeiçoa mais por uma pedra do que por outro de sua espécie. E não é só ela que se sente assim. A maioria da população da época é formada por clones, portanto têm essa fixação pela humanidade, por humanos de verdade. Sobre David do museu é mesma coisa. O pessoal praticamente é apaixonado por analisar os comportamentos da carne, e ele era praticamente uma estrela na cidade.

TENDO UMA VIDA TÃO TENEBROSA, POR QUE EMILY NÃO SE SUICIDA?

Emily III só manteve uma coisa por todas essas gerações, o medo de morrer. Por isso que mesmo com uma vida vazia e sem sentido, ela não tem coragem para fazer isso. E lembre de quando ela diz:

"Eu tenho muito orgulho da minha tristeza. Pois isso quer dizer que eu estou viva."

JÁ QUE EMILY III AVISOU SOBRE O QUE ACONTECERÁ NO FUTURO, QUER DIZER EMILY PRIME FARÁ TUDO SER DIFERENTE, CERTO?

Não. Emily é um bebê praticamente. Além de no final ficar claro que ela não entendeu ou não deu bola pra nada disso, é bem possível que ela vá esquecer de tudo o que aconteceu; já que o ser humano não é capaz de lembrar de nada da primeira infância. O que quer dizer que vai acontecer tudo de novo.

E agora? Você gostaria de viver para sempre? Responda nos comentários se quiser, ou escreva o que achou do post ou do curta!


16 comentários:

  1. Não gostaria de viver no futuro nem nessa realidade, nem em qualquer outra! Tipo deve ser muito chato viver por anos e anos e nunca morrer, só ficando com a agunia de que tudo ira acabar um dia! Adorei o post, ficou muito bom!

    ResponderExcluir
  2. Nunca vi um curta me deixar refletindo por tanto tempo e.e Obrigado pelo post, vou levar isso pro resto da minha vida...

    ResponderExcluir
  3. Respostas
    1. Tenta ver o curta de novo e ler o post, vai ajudar.

      Excluir
  4. Eu não fiquei perturbada porque já tinha parado para pensar nesses assuntos desde meus 11 anos; e, respondendo a pergunta, sim, eu gostaria de poder viver para sempre... sempre me perguntei se isso seria possível e se aconteceria rápido o bastante para que eu mesma pudesse desfrutar.
    Eu não posso dizer que tenho medo da morte, eu sou uma "suicida" afinal, já até planejei a data da minha morte, encaro isso de uma forma parecida com a da Emily III.
    É claro que eu não vou dizer que isso é bom ou que me orgulho disso; é só um fato. Só posso garantir que chegar no pensamento que cheguei foi uma espécie de sorte e me custou muita dor e agonia...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uh, não se mata não. Não sei se vai mudar algo. Provavelmente não. Mas, talvez seja melhor aguardar a Muffin III vir te visitar.

      Excluir
  5. Respostas
    1. Que bom que gostou! Continue acompanhando o blog!

      Excluir
  6. Pode ser coincidência ou será que Don Hertzfeldt se baseou nos mangás de Soul Eater ou Magi? Por curiosidade, em Soul Eater o personagem Giriko força sua alma e personalidade no corpo de seus próprios filhos com o propósito de extender sua vida, mas isso gera uma deterioração de sua alma ao longo do tempo devido ao ódio que vai acumulando, enquanto em Magi, há uma mulher que se apossa do corpo de suas descendentes, tem filhas com os corpos delas, e cria tais filhas para serem hospedeiras ideais no futuro, ambos repetindo esse ciclo nojento por gerações.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, você entende mesmo desse anime! Mas eu acho pouco provável!

      Excluir
  7. Sabe quando você vê uma animação e se apaixona à primeira vista? Foi o que aconteceu comigo quando vi Hello Emilly... Eu acho que eu fui a única que achei a pequena Emilly fofinha em vez de burra? Eu ria com as perguntas ridículas dela Haha Também adorei a postagem :3

    ~Rina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oh! Rina! Você por aqui! Fico lisonjeada com seu elogio! Que bom que gostou <3

      Excluir