quinta-feira, 17 de dezembro de 2020

【TRADUÇÃO】Dear Red

 "Seja uma boa garota e todos irão te amar."


Olá Corpses. Como você tem passado? Tem seguido as normas de segurança e ficado em casa fazendo as coisas que você gosta? Se não pôde ficar em casa, eu espero que esteja tudo bem contigo. A pessoa que vos escreve sou eu, Neru, mais uma vez, e hoje trago outro jogo com “Dear” em seu nome.
Espero que não vire tradição aqui na Zero Corpse. 
 
Como disse, hoje trago junto com a equipe a tradução de um jogo muito interessante chamado “Dear Red”. Na realidade, eu sou apenas o redator desse game. O responsável pela incrível tradução foi meu colega de trabalho Japadoidera Noir, todos os créditos a ele pois merece. 
 
Falando um pouco sobre o game, Dear Red foi criado por Lee Sang, e em 2016 teve uma versão estendida lançada na Steam. É um jogo feito na engine RPG Maker VX Ace, então você vai precisar do RTP para que consiga jogá-lo. Você pode encontrar o RTP aqui. Sabendo dessas informações, vamos continuar.

🩸Sinopse

Red é uma jovem garota que deu de cara com um acontecimento quando era muito pequena, e graças à sua idade suas memórias estavam muito confusas fazendo com que ela não se lembrasse como ou quando a sua mãe morreu exatamente. Até que poucos dias após a morte de seu pai, Red se lembrara com clareza finalmente do que realmente aconteceu no fatídico dia da morte de sua mãe. Agora, com um desejo imensurável de vingança, Red busca aquele que matou a sua mãe para que dessa forma, possa fazer com ele o que ele fez com a mãe da garota.

🩸Análise

                 
                Dear Red é um game curto onde cada escolha que você faz, influência a rota que você está trilhando de alguma forma. Como o jogo se baseia muito no “e se eu fizesse determinada coisa ao invés de tal coisa?”, existem diversos finais em meio à tantas possibilidades. Apesar de ser um jogo curto, Cada final possui uma própria linha narrativa e, como dito anteriormente, se baseia nas escolhas que o jogador faz ao decorrer do game. Como todas as escolhas que você faz importam criando muitas possibilidades, apesar de seu curto tempo de duração, a jogatina do game se torna muito divertida e redonda. Todos os finais de Dear Red possuem uma peculiaridade, e a maioria deles revela um pouco mais sobre a história a qual nós estamos inseridos. Juntando as peças de cada possibilidade que desbloqueamos, o jogo se torna uma bela e divertida experiência.

               Apesar disso ser um ponto positivo em Dear Red (isso é, sua imensa gama de finais e possibilidades a serem exploradas o que é um prato cheio para os jogadores que buscam um jogo de RPG Maker desse tipo), o que mais me chamou a atenção nesse belíssimo game assim que o joguei, não foi exatamente sua atmosfera tensa ou seus belos gráficos, mas sim, a protagonista. Ao longo do game nós temos poucas pistas sobre quem ou o que ela realmente é, fazendo com que ela se torne uma figura enigmática, mas apesar do pouco que nos é apresentado em relação à ela, nós sabemos de seus objetivos, angústias, ambições e até mesmo sua linha raciocínio, o que faz com que nos conectemos mais com ela. Mas nem sempre isso pode ser algo bom. 


                 Como disse antes, Dear Red nos conta a história de uma jovem que busca vingança pelo assassinato de sua mãe, algo que ocorreu quando ela era apenas uma garotinha de 6 anos de idade, e graças a esse enredo bem executado, o game também foi capaz de se diferenciar de outros RPG Maker do gênero, pois diferente de outros jogos de horror em RPG Maker em que controlamos um mocinho que busca concluir simples e nobres objetivos como sair de uma casa mal assombrada, descobrir mais sobre um monstro que está fazendo da nossa vida um inferno ou fugir de criaturas que querem nos esfolar vivos (quem descobrir todos os jogos de RPG Maker que eu estou falando ganha um saco de pipocas), aqui nada disso está relacionado com a protagonista e desde o início percebemos que estamos na pele de uma garota totalmente diferente. É bem angustiante, pois quando a vemos, tudo o que conseguimos enxergar é uma pessoa movida à ódio e rancor, tendo como um único objetivo, assassinar aquele que nos fez mal há anos atrás. 

                O horror de Dear Red também se diferencia dos demais jogos de terror em RPG Maker pois aqui, além de protagonista da história, nós também nos enxergamos como aquele típico antagonista impiedoso. Muitos dos finais de Dear Red deixam isso bem claro, e acredite, é bem mais assustador enxergar pelos olhos de alguém sanguinário do que enfrentar o vilão cara a cara em um jogo desse tipo, sendo esse o horror peculiar, mas muito bem executado de Dear Red.


                Outra sacada brilhante de Dear Red que eu acho excepcional de se citar aqui, é que o próprio jogo faz com que nos questionemos sobre o que nós estamos fazendo, pois não sabemos se nosso objetivo realmente é o certo a se fazer ou o errado. Dear Red já abre essa questão com a primeira cena que introduz o game. A cena em questão é a do diálogo entre o suposto assassino e sua filha. Uma cena tocante que nos abre interpretações sobre qual escolha devemos tomar. Nela, a filha do suposto assassino, pergunta para seu pai se ele vai deixa-la algum dia, e o assassino responde que ela está sendo boba e nunca vai deixá-la. A partir desse momento, o game vira um mix de sentimentos e questionamentos, sendo uma das coisas a qual eu acho mais interessante no game.

                O fator Replay de Dear Red também é algo bom a ser citado, pois como já disse, é um jogo que possui vários finais. Não são apenas cinco ou seis finais, são DEZESSEIS finais para que você possa desbloquear, mas há um ponto ruim nisso tudo. Os dezesseis finais passam longe de serem difíceis de conseguir e existem finais que você literalmente consegue em menos de dois minutos, porém como é um jogo baseado em escolhas esse fator se torna compreensível e obsoleto levando em conta também que é um game para que você passe seu tempo e não quebre sua cabeça.

💉Gráficos

                Em relação à gráficos e atmosfera de Dear Red, não há muito o que eu possa falar. Se você jogar o game por si só, entenderá o que estou dizendo. Não há nada realmente a se destacar sobre Dear Red em relação aos gráficos já que eles são iguais aos gráficos de outros games feitos na engine do VX Ace, além de que existem apenas dois cenários em todo o game que são a parte externa e interna da casa do assassino. 

                Os gráficos de Dear Red não são necessariamente ruins, mas como disse antes, não há algo que eu possa destacar e digamos que seus gráficos não são verdadeiramente seu charme e não é a primeira coisa que lhe chama a atenção assim que você começa a jogar o game, mas há algo que eu gostaria de destacar em relação à Dear Red que são os sprites da protagonista. O game não nos mostra diretamente o rosto da protagonista, mostrando apenas a sua silhueta e preservando sua identidade o que nos deixa livres para imaginarmos como seria o rosto dela. A única coisa que somos capazes de ver em Red, a protagonista, são justamente as partes que representam seu ardor: seus olhos repletos de raiva, a alça de seu vestido e seu laço em seu cabelo (todos os três elementos possuem cores avermelhadas). 

                Eu não sei se foi proposital (o que provavelmente foi), mas Lee Sang acertou em cheio em utilizar a coloração vermelha e preta para os sprites da cabeça da personagem, pois geralmente o preto em obras e pinturas servem para realçar o mistério e o indecifrável. Já o vermelho serve para representar sentimentos fortes, como amor, coragem ou até mesmo raiva e o desejo obsessivo por algo que é justamente tudo aquilo que Red sente e Lee Sang quer passar para o jogador...

 💉Jogabilidade e Trilha sonora

 
                A jogabilidade de Dear Red se baseia principalmente em escolhas que você faz ao decorrer do game como eu disse antes. Literalmente tudo o que ocorre depende do que você escolheu e isso te leva a um dos dezesseis finais. Apesar de existirem apenas dezesseis finais, apenas um desses finais é o verdadeiro e não é tão difícil de pegá-lo. Não há muito o que destacar na jogabilidade de Dear Red, e em relação à música do game, também não há muito o que falar. Dear Red possui poucas músicas, e se não estou enganado, todas elas são melodias de piano, o que casa muito bem com o ambiente do game. 
 

🩸Conclusão

            Dear Red é um jogo muito bom e gostoso de jogar, mas não é um jogo o qual você vai passar horas jogando, na verdade, o melhor desse game é justamente aquilo que ele quer que você faça: desbloquear todos os finais e aproveitar o máximo que puder. É um jogo relativamente curto de maneira proposital feito para que você apenas passe seu tempo brincando de explorar as diversas possibilidades que conseguir encontrar e não passar horas quebrando sua cabeça. Possuindo um terror peculiar, Dear Red é um jogo que me cativou bastante, mas passa longe de ser um de meus jogos de RPG Maker favoritos. Foi justamente esse tipo de horror executado de maneira tão inteligente junto com os finais que me fizeram querer continuar a jogar Dear Red, porém se você procura um game com uma história profunda e bons elementos, sugiro que vá jogar outro RPG Maker, mas claro, não deixe Dear Red de escanteio e dê uma chance para ele se você não tiver nada para fazer, pois eu garanto que você não vai se arrepender.

🩸Download

🩸 Postagem da Beuregard sobre Dear Red 💉

Mais...

27 comentários:

  1. tava procurando outro jogo pra jogar agora mesmo kskksk

    ResponderExcluir
  2. Lentamente procurando outro jogo com "Dear" no Google xD
    Como sempre, mtu obrigada!

    ResponderExcluir
  3. Obrigada pela tradução :3
    Só na espera da tradução de pocket mirror

    ResponderExcluir
  4. Parabéns pela tradução galeraaa, mas sinceramente que jogo merda, sou sincera mesmo, pq q n tem uma história mais elaborada, longa e q prenda?????? Chateada

    ResponderExcluir
  5. Não teria como traduzir o Reboot de Wadanohara, teria?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. se não me engano Wadanohara já tem tradução por aqui :)

      Excluir
  6. AAAHH, zerocorpse ta de cara nova, ficou muito bonito. Obrigada pela tradução. To aqui desde 2013, já vi tanta mudança nessa plataforma, cada vez melhor!

    ResponderExcluir
  7. Meu sonho é ajudar de alguma forma esse blog, seja traduzindo ou algo mais. Além de sempre recomendar ele quando alguém quer jogar algum RPG horror.

    ResponderExcluir
  8. obrigada por mais um jogo!! to ansiosa pra quando lançarem pocket mirror <3

    ResponderExcluir
  9. Obrigado pela tradução. Só joguei dois desses jogos nesse estilo (Mogeko Castle e Ib) e preciso encontrar outros. Vou baixar esse depois.

    ResponderExcluir
  10. eu sei que não tem muito haver com o jogo mas eu queria saber se tem algum sistema de fanart dos jogos nesse site? porque eu vejo algumas nos jogos mas não sei se vocês pegaram ou eles mesmo enviaram ;-;

    ResponderExcluir
  11. O jogo é curto assim mesmo?
    Não entendi o conceito da história, esperava mais. Depois da vingança não há mais conteúdo algum, sendo assim foi decepcionante. Mas agradeço pela tradução. <3

    ResponderExcluir
  12. Oi! Eu gostaria de saber se vocês planejam traduzir OMORI! c:

    ResponderExcluir
  13. Sigo este blog desde que postaram Ib e mad father, bom saber que continuam com o ótimo trabalho <3

    ResponderExcluir
  14. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  15. Incrível a tradução de vocês! Continuem assim, vocês são maravilhosos.

    ResponderExcluir
  16. obrigada por mais essa tradução ! joguei quando vcs postaram o jogo a um tempao atrás, gostei muito

    ResponderExcluir
  17. Parabéns pela tradução! Fazia um tempo que não jogada um joguinho traduzido daqui do site. Só uma pergunta pra quem jogou, como Neru falou a conduta da Red é questionável, não só pelo fato de que matar uma pessoa é errado né kkk como também pq não fomos apresentados a história completa, enquanto você procura e vasculha durante o jogo é obvio que tem algo a mais nessa história. Joguei e tentei fazer vários finais, e em todos eles não tive a resposta que queria, será que tem como saber oq realmente aconteceu?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. então fiquei curiosa sobre o porquê do pai querer matar a mãe dela... Mas acho que a intenção do jogo n é tentar entender o lado da protagonista e sim sobre essa sede vingança dela se é algo que vale apena ou nao

      Excluir
  18. agraadeço vcs ai pela traduçao!!!

    ResponderExcluir
  19. parece ser mt legal vou baixar hoje

    ResponderExcluir