segunda-feira, 11 de abril de 2016

Aoi Bungaku

       Fugindo do RPG Maker um pouco e entrando em outra área um pouco mais densa, venho hoje apresentar um anime.


       Sejamos sinceros: Adoramos a narrativa japonesa. Tanto em jogos, filmes ou desenhos animados, o Japão consegue criar uma atmosfera dramática e madura, ou eclética e animada ― que cativa o espectador junto. O Studio Ghibli por exemplo é adorado e reconhecido internacionalmente, insistindo em animações tradicionais (mas com resultados belíssimos, diga-se de passagem) e nenhuma pressa em seguir uma receita de bolo de roteiro ou chegar em algum resultado em poucos minutos. É completamente diferente da forma que americanos produzem suas histórias ou até mesmo brasileiros, europeus... Cada nação desenvolveu-se de forma distinta e com ela sua cultura.

       Minha proposta agora que voltei a ser mais ativa é trazer e comentar estes aspectos de enredo com vocês leitores, seja em jogos de RPG Maker ou obras de terror de qualquer tipo, para que possamos empatizar ainda mais com as propostas do autor. Porque mesmo em uma obra de comédia ou uma peça de teatro, os gestos e a montagem de cena contribuem muito para a identificação da história ― ou vai me dizer que os personagens de To the Moon terem animações não foi um diferencial sutil, mas que trouxe ainda mais apego à eles?

       Portanto, resolvi trazer para vocês um anime pouco conhecido ― no meu próprio círculo de amizades mesmo apenas uma pessoa assistiu ― mas que vai saciar a curiosidade literária de alguns leitores do Zero Corpse, sem se afastar muito da proposta do blog, uma vez que aborta temas bem delicados como a insanidade, por exemplo.

Falo de Aoi Bungaku.


       Aoi Bungaku (青い文学シリーズ, Literatura Azul) foi um projeto interessante lançado em 2009: O Estúdio Madhouse adaptou 6 histórias da literatura japonesa clássica em um anime, usando o traço de 3 artistas conceituados: Takeshi Obata (Death Note), Tite Kubo (Bleach) e Takeshi Konomi (Prince of Tennis). Durando uma média de 2 episódios e totalizando 12 episódios, as histórias ganharam vida e um segmento bem próximo dos enredos originais, sendo um ótimo primeiro contato com a literatura japonesa.

       Por se tratar de obras tão diferentes, é desnecessário uma abertura, sendo posto no lugar um apresentador que introduz o conteúdo de antemão (mas dependendo do fansub ele é cortado). E o encerramento pode parecer chato e sem graça, mas como uma conhecida mesmo comentou: “Depois que eu vi o anime, ela me pareceu bem calma e simples, combina bem com a proposta.”

       Deixo um aviso desde já: Pessoalmente foi um anime que me marcou demais, pelo teor maduro e obscuro. Por conta de algumas cenas eu classificaria para maiores de 16 anos, mas a partir do momento que você começa a ver, não tem mais volta. Eu espero que estejam cientes disso.

1.  Ningen Shikakku (1º ao 4º episódio) - Ozamu Dazai



       Traduzido livremente como “Desqualificado como Humano”, Ningen Shikakku leva o traço de Takeshi Obata e traz a história de Youzou Ooba, um jovem estudante que passa por uma fase depressiva depois de sobreviver a um suicídio junto de sua amante. A obra é extremamente densa e vemos Youzou definhar lentamente em seu desespero e melancolia, uma vez que aos olhos de algumas pessoas ele na verdade assassinou a mulher; e junto de diversos pontos delicados de seu passado, muitas vezes ele se vê lutando contra a ideia de que ele não é mais digno de ser “Humano”. Um enredo complicado, obrigando o estúdio a dedicar 4 episódios (sendo um cada capítulo do livro original) para que a história causasse o impacto necessário, sem atrapalhar o desenvolvimento.

       É uma obra pesada e que mostra ao que o anime veio. Eu SINCERAMENTE recomendo ou pular essa ou deixar para quando estiver seguro de seu temperamento, porque a coisa é muito depressiva e inclusive discute-se que o autor já estava bem debilitado psicologicamente quando a escreveu, porque pouco tempo depois ele se matou.

       Vai com calma. Na boa.

2. Sakura no Mori no Mankai no Shita (5º e 6º episódios) - Ango Sakaguchi



       Traduzido livremente como “Na floresta, abaixo da Cerejeira”, curiosamente, é o único a apresentar uma abertura ― provavelmente para começar a te aliviar do peso da obra anterior. Aqui, temos o icônico traço de Tite Kubo em uma história simples e que passa despercebida às vezes, mas que ainda vale a pena conferir. O enredo conta sobre Shigemaru, um bandido que vive nas montanhas e teme as árvores de cerejeira pois acredita que elas podem deixar pessoas loucas. Vivendo com 7 esposas, certo dia encontra uma bela mulher chamada Akiko. Depois de matar o marido dela e demais serventes, ele tenta torná-la sua esposa. ― mas ela é muito mais do que um rosto bonito, e Shigemaru precisa lidar com isso.

        Eu não sei se a obra tem realmente estes contrastes ou foi culpa da Madhouse, mas você deve ficar atento ao enredo. Isso porque a qualquer momento pode acontecer uma reviravolta que te deixa ora irritado, ora triste, até se conformar. E quando eu cheguei na fase de conformidade, veio o final e me chocou. Os personagens são adoráveis – Shige principalmente por ter uma ingenuidade muito adorável, mas não se esqueça que obras japonesas são imprevisíveis e mestres na conexão entre espectador e história.

3. Kokoro (7º e 8º episódios) - Natsume Soseki



       Focado na terceira parte do livro homônimo e com o retorno do traço de Obata, um personagem identificado como “Sensei” mora com sua futura esposa e sogra acolhe um amigo monge chamado K, mas sua decisão culmina em um infeliz triângulo amoroso que o anime traz dois pontos de vista: O primeiro episódio (Verão) mostra o ponto de vista do Sensei, que nota o interesse de K em sua futura esposa mesmo seguindo um caminho religioso, traindo sua confiança e o preenchendo de culpa pelo resto da vida pelas consequências de seu ato. Já o segundo (Inverno) apresenta o de K, em que a futura esposa aparenta gostar dele e inclusive põe lenha na fogueira desse triângulo, fazendo do Sensei uma pessoa controladora e egoísta, mas que conclui seu objetivo a um alto custo.


       Esta obra é muito interessante por tentar abordar os dois lados da moeda. O título da obra em si, embora signifique Coração, tem uma escrita diferente que pode ser lido como “Sentimento”. Perfeito para definir o amor, que ao contrário de muitas obras fantasiosas, cresce de forma conturbada e envolve diversos custos e lutas. No caso mostrado do anime, um sairia ganhando ao preço de manchar-se para sempre com o outro (lembrando que no Japão honra e ética são elementos muito fortes) mas por este sentimento, ambos em suas visões fizeram o que tinha que ser feito.

4. Hashire Meros (9º e 10º episódios) - Ozamu Dazai



       Corra Melos, além de ser a única que recebe o traço de Konomi, é de longe a melhor das histórias apresentadas em Aoi Bungaku na minha opinião. Takada, um roteirista de teatro, é obrigado a fazer uma adaptação da obra título que em si é uma lenda grega que fala de amizade. Mas para ele, amizade é um vínculo que perdido há muito tempo, mas que se vê obrigado a resgatar para criar a peça. Tudo porque no passado, seu colega Joshima lhe traiu a confiança e o abandonou. Este resgate é doloroso e muitas vezes enquanto escreve lembra do seu passado. Mas o desfecho muda completamente a visão dele sobre os fatos e ele corre ― como Melos correu ― por seu amigo.

       “O que é pior: Esperar, ou alguém estar te esperando?” esta é síntese dessa história. Eu fico pasma como tal enredo leve sobre amizade é do mesmo autor de Ningen Shikakku. Mesmo que a história original seja só a parte da lenda grega, toda a inserção de Takada e Joshima só tornou o enredo mais interessante, lindo, único, e tocante. Eu chorei a primeira vez que vi, chorei quando a revi este ano por saudade, e certamente esta história de amizade ficará em meu coração para sempre.

5. Kumo no Ito (11º episódio) - Ryuunosuke Akutagawa


 
       A teia da aranha retorna com o traço de Kubo e um protagonista unsual: Um assassino conhecido chamado Kandata, que matou muitos inocentes por prazer e zombou de sua condenação à morte sem arrependimentos. Uma personalidade excêntrica, mas que por alguma razão foi tocada por empatia e ele livrou uma aranha da morte enquanto se escondia. Infelizmente, foi achado e devidamente executado. No Inferno, ele tem a oportunidade se redimir, mas sua personalidade horrível o faz perder sua única chance de se livrar do condenamento eterno.

     É importante frisar que esta é uma história bastante referenciada em animes e jogos e fala principalmente de Karma, incluindo até Buda na história original. Este ano inclusive tivemos todo o psicológico de um personagem em Boku dake ga inai machi baseado nesta obra. Zelda, Touhou e Death Parade são outros exemplos que a citam.

6. Jigokuhen (Último episódio) - Ryuunosuke Akutagawa



       A última história, Pintura do Inferno, por também ser de Akutagawa foi mantido o mesmo reino de Kumo no Ito e o traço de Kubo. O Imperador gostaria de fazer uma pintura de seu reinado e decidiu chamar o mais habilidoso pintor para isto: Yoshihide. A questão é que este Imperador é um tirano e Yoshihide decide que mostrará o país como o Inferno. Apesar das dificuldades iniciais e do que ele perdeu, ele consegue finalizar sua obra, mostrando a verdade para que todos vejam.

      Na história original, Yoshihide tem que pintar o Inferno Budista, e para isso ele faz muitas pessoas sofrerem “por não poder pintar algo que não conhece”. A ideia se mantém, mas ela é amenizada para que a essência da história finalize o anime e sintetize todo o esforço que os autores anteriores passaram para que suas obras se eternizassem no Japão... E até no mundo.

▬⌠⌡▬

       Fiquei receosa de trazer um assunto tão diferente para o blog, mas espero humildemente que vocês gostem de minha recomendação. Não é todo dia que vemos um projeto valioso desses, e se alguma história os interessou não se esqueça que por serem literaturas clássicas há diversas outras adaptações (inclusive em filme). Tenho certeza que ao menos uma irá te cativar e te seguir pela vida toda.


- Neil

40 comentários:

  1. Bela postagem, parabéns <3

    Estava procurando alguma animação legal pra ver, e parece que encontrei ansdjakndjasada

    Amo esse estilo que segue uma linha mais dramática, e a propósito, review muito bem escrita :3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada! Eu tentei cortar o máximo possível de spoilers, então fiquei nervosa se as reviews iriam agradar, mas agora que você comentou estou feliz <3

      Excluir
    2. Amei voce trazer esse anime para cá, estava pensando em assistir e logo depois voce fala dele ^_^ . Ja agora,outro anime bom de terror,drama,comedia,romance e etc (sim o anime tem de tudo kkk) Se chama higurashi. E tem varias temporadas tais como:
      Higurashi
      Higurashi kai
      Higurashi rei
      Higurashi kira
      Higurashi kaku.

      A primeira temporada é mais voltada para o terror mas infelizmente a animação é ruimzinha mas nas temporadas à frente a animacao é otima.

      Excluir
  2. Caramba mano! Eu já ouvi esse anime pelo nome de relance,e já estava nas minha lista pra assistir mas agora deu vontade de pular os outros animes só para assistir ♥
    Foi uma excelente review,por um instante achei que era um jogo(pois eu já vi jogos que viraram animes e vice versa e eram incríveis *3*) mas aí vi que não era e me interessei ainda mais. Por favor continue assim postando reviews,eu vou ler todos! Haha! xD

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Own, obrigada. Eu espero realmente que você goste e aproveite o anime ♥

      Excluir
  3. Gente, eu já havia topado (em algum site por ai) com esse anime, só que nem pensei que pudesse ser tão interessante, ele é totalmente o meu gênero preferido *-* , tipo, histórias que carregam um significado, são sempre as melhores, por que são essas que sempre ficam marcadas no seu coração <3 Death Parade tá ai pra provar :D como você, eu chorei no penultimo episodio chorei no ultimo e continuo chorando sempre que revejo o anime T-T... Há, recomendo o site do anitube pra ver o anime (apesar que metade do povo provavelmente conhece o anitube) e faço uma recomendação de RPG que eu gostaria que você falasse um pouco sobre, que é o TOWLORE 2.0 que saiu no Indie Horror Rpg games com tradução em espanhol :3
    Ótima Postagem peço que continue com as recomendações de anime, principalmente antigos que são sempre melhores, e recomendações de filmes também seriam muito Bem-Vindas. Bye Bye

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Aoi Bungaku é bem profundo e lindo. E vou anotar o TOWLORE aqui, mas quem costuma trazer jogos em espanhol é a Rina então quem sabe já nem esteja no planejamento dela :D

      Agora eu sou obrigada a discordar sobre antigo = Melhor. Um bom anime independe de ano de lançamento. O próprio Aoi Bungaku é de 2009 (Época de Fairy Tail) e os citados Death Parade e Boku Dake são mais recentes.

      E assim como nesta época temos Dust&Gold indo e vindo, eles também tiveram os seus. Mas só os melhores dos melhores sobreviveram para que pessoas da nossa geração tivessem interesse em reassistir.

      Eu vou sempre tentar trazer conteúdo mais variado. Focamos em game sim, mas é bom discutir outras mídias vez ou outra ♥

      Excluir
    2. Sim concordo com sua opinião, mas quando disse antigos são sempre melhores falo mais sobre o enredo, por que atualmente muitos animes são voltados para o Ecchi e peitos rsrsrsrs mas não pegam tanto quanto antigamente temas como amizade ou um romance diferente, que não seja tão voltado a ''colegiais que se apaixonam pelo Sempai ou o garoto rebelde'' é claro que até eu gosto muito de temas assim mesmo que sejam clichês mas penso que muitos animes antigos (ou até mangás) pegam temas diferentes e os clichês e misturam e criam um resultado super interessante é claro que atualmente saem vez ou outra animes como o Death Parade,BoKu dake e até Ano Hana se encaixa no perfil, tanto que, fez um sucesso imenso se bem me lembro em 2011, talvez, bem, de qualquer forma o que eu quero dizer é que atualmente é difícil achar animes com enredos assim, por exemplo Hunter x Hunter é antigo e extremamente popular nunca foi visto outro anime com enredo tão bom quanto ele (dentro do contexto de luta e amizade, e tal), tirando Naruto é claro, outro também que é antigo e na minha opinião muito bom:Full Moon, Kyuuketsuhime Miyu, etc... são pouco conhecidos mas tem um enredo e um tema bem diferenciado é claro que o segundo mistura um clichê com o inovador, mas graças a isso cria algo difereciado, e bom, enfim foi isso que quis dizer...
      E sim traga mais conteúdos assim, eu gosto sempre de pesquisar e conhecer coisas diferentes. Bye Bye

      Excluir
    3. Entendi seu ponto. Well, como eu disse, cada época tem seus Dust&Gold. Mas mais que isso, eles lidam com a sociedade da época.

      Anos 90 a internet ainda engatinhava e muitos animes questionavam a tecnologia e ainda como ficaria a sociedade japonesa depois do estabelecimento dela. Era o assunto em pauta e como poucos se aventuravam no mercado de animação, não havia muitos problemas na hora de gerar um enredo criativo sem esbarrar em direitos autorais/plágio etc.

      Mas a nossa sociedade atual é EXTREMAMENTE diferente. Pode não parecer, mas hoje temos maior recebimento de informações e pouco armazenamento destas então é preciso um apelo muito chamativo para ficarmos presos em uma quantidade absurda de episódios. (Ou alguém aqui se aventuraria HOJE a assistir todos os episódios, OVAs e filmes de Detetive Conan? q)

      Fora que com a internet chega a ser IMPOSSÍVEL algo 100% criativo sair. Sempre vai ter aquele trabalho indie que tem a mesma ideia que a sua, por isso a possibilidade comercial sempre é um peso para adaptar tal obra ou não.

      Os animes de hoje em dia tentam trazer o máximo de coisas interessantes para o máximo de pessoas-consumidores possíveis, cabe a você decidir qual assistir, pelo seu ritmo e gosto.

      Novamente, eu entendo seu ponto mas século XXI promete ser tão fogareiro uma revolução nas indústrias criativas tão sodásticas que eu queria ser imortal só para acompanhar. :v

      Excluir
  4. Nossa, deve ser a melhor coisa do mundo esse anime!
    Só pelas sinopses que você fez já me dá vontade de correr pra ver, o que é que eu vou fazer mesmo! ahaua
    Nos apresente mais dessas reviews peloamordedeus, que eu tenho muita preguiça de procurar coisas desse tipo, na maioria das vezes acabo frustrada por não encontrar. szszsz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu achei marcante. Se é a melhor coisa do mundo será um julgamento seu -q

      Mas sim, eu sempre vou atrás de animes sérios e com foco psicológico porque é o tipo de desenvolvimento que me agrada ver. Assim como tem gente que vibra por anime de esporte ou um shoujo, Seinen é minha praia.

      Uma dica caso você queira algo para assistir mas nunca sabe o que quer, é verificar as sinopses dos animes da temporada. Há muita coisa interessante e sempre muda a cada estação.

      Excluir
  5. Neil que post perfeito, pf continua com as recomendações de anime!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu anônimo, sempre que eu achar algo que se encaixe com o blog vou tentar trazer aqui ♥

      Excluir
  6. Traga mais do tipo, talvez animes de suspense, psico e terror.
    Eu recomendo:
    - Yami Shibai
    - Another
    - Elfen Lied
    - Blood C (tem versão sem censura)
    - Danganronpa
    - Jigoku Shoujo
    - Paprika
    - Perfect Blue
    - Tokyo Ghoul

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De todas essas, acho que Perfect Blue seria o melhor para explorar com o blog. Valeu pelas indicações.

      Excluir
    2. E higurashi. Quem não viu ,precisa pesquisar mais sobre esse anime ja que é um anime confuso e possui varias temporadas mas quem o viu ate ao fim,vai gostar muito.

      Excluir
    3. E higurashi. Quem não viu ,precisa pesquisar mais sobre esse anime ja que é um anime confuso e possui varias temporadas mas quem o viu ate ao fim,vai gostar muito.

      Excluir
    4. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  7. Parabéns pelo incrível texto.
    Claramente, o anime é uma ótima recomendação.
    Agradeço.

    ResponderExcluir
  8. Esse anime parece ter uma beleza delicada e mórbida tão pulsante. Quer saber? Vou assistir agora, muito obrigada pela recomendação! Adoro quando vocês do ZC variam o conteúdo <3

    E Neil... você é a pessoal que me deixou viciada em IAMX

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como eu disse, é bom sair do lugar-comum. E ver que vocês aceitaram bem me deixa tão feliz ♥

      Sobre IAMX... I just want to turn the lights on
      In these volatile times/I just want to turn the lights on
      In these volatile times ♫

      Excluir
  9. Genteeee do céu, acompanho esse blog a muito tempo, e fiko feliz em ver ele evoluindo tanto, lembrei das rapidas conversas que tinha com a Mei no Twitter. A staff aumento e muito gnttttt (acho que tem 10 ou 11 pessoas{se num for me corrija kkk ^^})
    Sério Neil, ótimo trabalho.
    Eu queria muito conhecer outros trabalhos de Takeshi Obata, afinal o traço dele eu acho Surreal e incrivel.
    Brigadaum Neil!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No sobre consta 15, mais o povo do Face que a Mei não coloca. Srsly, 15?! Eu fui a terceira redatora. Gente... Eu estou em choque. q

      E por incrível que pareça conheci essa obra justamente porque gostava do Obata. E essa amiga que citei no post viu porque gostava do Kubo. Pois é 8T

      Excluir
  10. Eu já conhecia esse anime mesmo assim foi surpreendente encontrar ele aqui ,ele é um dos meus favoritos ,mais gente deveria ver mesmo ,Kumo no Ito foi meu favorito e o seu?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. EU TENHO UM SÉRIO FRACO POR HASHIRE MEROS. Que coisa catita ;A; E Kumo no Ito é tão interessante, uma ótima escolha.

      Excluir
  11. Eu vou começar a ver nesse instante! Eu tenho procurado algo pra assistir, algo realmente bom e que mexa comigo tanto quanto Death Parade e Mushishi. O único problema é que, seguindo a recomendação, acho que vou ter que pular a primeira parte por enquanto :v
    Adorei a postagem, vou adorar ver mais recomendações de animes no blog.
    Eu volto depois de assistir pra dizer o que achei <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como eu disse, Ningen Shikkaku é depressivo. E é uma obra que muda sua visão social. Muito bom, mas cautela.

      E Mushishi parece tão bom. Eu tenho que conferir depois.

      Excluir
  12. eu realmente queria um jogo traduzido legal mais ja q tem fumante na pag (brinks :v amei post)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Temos Toilet in Wonderland como tradução mais recente. Quer apressar um tradutor e receber um trabalho ruim, ou um acabamento que valha cada esforço? No próprio TiW Idate fez um esforço para adaptar TODAS as referências do jogo. Coitado.

      E que bom que gostou da postagem <3

      Excluir
    2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
  13. A senhora é talentosa mesmo Neil, estoy a esperar o próximo. Uma pergunta, vc entendeu o título do anime?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada. Sim, nas culturas asiáticas azul representa imortalidade. Seria uma metáfora para "Literatura Imortal" Bem apropriado.

      Excluir
  14. ....Legal...
    Pena que eu não assisto mais animes :(

    ResponderExcluir
  15. Uau gostei muito da indicação até combinou com o clima dos jogos de terror. Vou procurar um site pra baixar as obras que inspiraram o anime. E ótimo post Neill

    ResponderExcluir
  16. Poxa! Eu realmente adorei a recomendação XD

    Só por cima mesmo, para quem curte uma animação de terror mais parada + quase vampiros, eu recomendo tentarem Shiki.


    You See!~

    ResponderExcluir
  17. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  18. Eu vi esse anime no ano retrasado (2014) e eu estava louca para achar o nome dele (não sou boa em decorar nomes) e acabei achando essa review. A review é simplesmente MARAVILHOSA e deu-me uma grande vontade de rever o anime, principalmente a primeira estória, que é tão depressiva que faz até a pessoa mais alegre ficar triste.

    Amo a madhouse (claro, fez meu anime favorito, o Death Note) e nunca me decepcionou, os traços e as estórias nas quais produz são espetaculares. Quando descobri que a madhouse fez este anime, só aumentou minha certeza.

    Amei a review, e gostaria muito que fizesse de outros do mesmo estilo, os animes psicológicos, like death note, death parade, ghost hound e por aí vai...

    Esse comentário é bem ruim e meio atrasado enquanto ao post, mas espero que dê motivação para fazer mais.

    ResponderExcluir